Ritual do Baptismo


I— Acolhimento e diálogo com os pais e os padrinhos

 

A celebração do baptismo das crianças começa com um diálogo com os pais e os padrinhos. Este diálogo não é uma mera apresentação de cortesia. É antes um diálogo de acolhimento pela Igreja e de compromisso dos pais e padrinhos. Por ser um diálogo de acolhimento, é desejável que seja realizado à entrada da igreja, tal como acolhemos alguém em nossa casa no hall de entrada. Mas, acima de tudo mostrando que o baptismo é a porta pela qual o Espírito Santo entra na vida do que é baptizado.
 
Deste modo a celebração começa, como todas as orações da Igreja, invocando o Nome de Deus. A pergunta do nome após a saudação inicial é sinal da relação pessoal de Deus com aquela pessoa que vai receber o baptismo e sinal de que Deus escolhe e chama cada um pelo seu nome.
 
"Que pedis à Igreja de Deus?" esta pergunta feita aos pais implica o recto desejo e sentido do baptismo: pede-se à Igreja a fé, a filiação divina, a graça de Deus, e entrada na Igreja, a vida eterna. Numa palavra que tudo resume, pede-se o Baptismo em todo o seu mistério espiritual.
Diante deste pedido dos pais, estes comprometem-se a educar o filho na fé, "para que observando os mandamentos ame a Deus e ao próximo". Como? "Como Cristo nos ensinou", é esta a forma da educação cristã, Ele é o exemplo, tal como o Seu Espírito é a força que torna possível seguir os Seus passos. A Cruz é o expoente máximo desse exemplo: Cristo entrega-se por cada um e a razão é o seu amor por cada um. A sua Paixão é essa entrega incondicional por amor a cada Homem.
 
Também, e de uma forma particular, os padrinhos são chamados a "ajudar os pais nessa sua missão" aceitando ser testemunhas ao longo da vida da alegria da vida cristã. Estes apenas se comprometem a ajudar os pais na educação cristã. Ajudar não é substituir; não se comprometem a assumir a tutoria das crianças em casos limites; não se comprometem a dar presentes. Mas comprometem-se a viver a fé e a transmiti-la à criança. Os padrinhos são escolhidos para esta missão específica.
 
A rematar o diálogo com os pais e padrinhos, o celebrante faz o sinal da cruz na testa da criança. É como que o selar a criança em Cristo, é o sinal dos cristãos. O celebrante faz o sinal em nome de toda a comunidade cristã. Os pais e padrinhos também o fazem num gesto de acolhimento, eles são os que apresentam a criança, mas por fazerem já parte da comunidade dos fiéis, também acolhem a criança. Estão também em representação da comunidade cristã. Muitas vezes ouvimos: "a boda e a baptizado, só vás se fores convidado"; isto é verdade se apenas se referir ao "copo de água", pois os sacramentos são actos comunitários, toda a comunidade pode estar presente.

Acolhimento e diálogo


Celebrante: Que nome escolhestes para o(a) vosso(a) filho(a)?
Pais: N.
(dizem o nome próprio da criança)
Celebrante: que pedis à Igreja de Deus para N?
Pais: O Baptismo.
Celebrante: Caríssimos pais: Pediste o Baptismo para o( a) vosso(a) filho(a). Deveis educa-lo(a) na fé, para que, observando os mandamentos, ame a Deus e ao próximo, como Cristo nos ensinou.
Estais conscientes do compromisso que assumis?
Pais: Sim, estamos.
Celebrante: E vós, padrinhos, estais decididos a ajudar os pais desta criança nesta missão? Padrinhos: Sim, estamos.
Celebrante: N, é com muita alegria que a Igreja de Deus te recebe. Em seu nome, eu te assinalo com o sinal da cruz e depois de mim, os teus pais (e padrinhos ou padrinho/ madrinha) vão também assinalar-te com o mesmo sinal de Cristo Salvador.
 

II— Celebração da Palavra de Deus e ritos preparatórios


Após o diálogo inicial e cada um se ter dirigido para o seu lugar, escuta-se a Palavra de Deus, é ela que dá sentido à celebração. Deus fala, ilumina e explica os nossos gestos com a Sua Palavra.
 
Na homilia explicam-se as leituras bíblicas à luz daquele acontecimento em concreto.
 
Após a homilia, na Oração Universal, pede-se a Deus pela criança, para que seja fiel ao baptismo que vai receber, que cresça na fé e na vivência da Igreja e pede-se pelos pais, padrinhos e familiares e toda a comunidade para que ajudem a criança na sua vida e sejam testemunhas da fé e da vida cristã para ela.
 
A Ladainha leva-nos a viver o mistério da Comunhão dos Santos, isto é: comunhão dos que já vivem junto de Deus e comunhão entre fiéis que ainda peregrinam na terra. Lembremos que a primeira forma de chamar os cristãos foi "Santos". Nesta oração litânica, pedimos a protecção e intercessão dos Santos para a criança. São invocados apenas alguns, os mais próximos da vida de Jesus e podem-se acrescentar os santos locais (diocese, paróquia, lugar) e o onomástico da criança, dos pais e dos padrinhos.
 
Acabada a Ladainha faz-se a Oração de Exorcismo e Unção com o Óleo dos Catecúmenos.
 
É de referir que o que se vai realizar é um exorcismo, mas não é coisa de filmes e séries da TV É expulsar Satanás que nos traz presos desde o Pecado Original e que, por isso nos afasta de Deus. Esta oração e a unção são a inserção da criança no caminho de Deus, a construção do corpo como Templo do Espírito Santo e a recepção da Força de Deus. A unção com o Óleo dos Catecúmenos é feita no peito, pois é inspirada nos atletas, lutadores e gladiadores antigos: um corpo untado leva a que a força muscular sobressaia e o inimigo não domine porque escorrega. Assim, esta unção é imagem da força de Deus: ela deve brilhar e afastar da criança o mal = pecado.

Liturgia da Palavra

Leituras bíblicas e homilia que explica e actualiza a Palavra de Deus no concreto da vida Leituras (cf. anexos)
Homilia
Oração Universal (cf. anexos)
Ritos preparatórios

Ladaínha dos Santos

Celebrante: Santa Maria Mãe de Deus
Todos: Rogai por nós!
Celebrante: S. José
Todos: Rogai por nós!
Celebrante: S. João Baptista
Todos: Rogai por nós!
Celebrante: S. Pedro e S. Paulo
Todos: Rogai por nós!
Celebrante: São! Santa N, (pode acrescentar-se o nome do Santo patrono da criança se houver e outros de particular devoção da família)
Todos: Rogai por nós!
Celebrante: Todos os Santos e Santas de Deus
Todos: Rogai por nós!

Exorcismo

Celebrante: Deus todo-poderoso e eterno, que enviaste ao mundo o vosso Filho, para expulsar de nós o poder de Satanás, espírito do mal, e transferir o homem arrebatado às trevas, para o reino admirável da vossa luz, humildemente, Vos pedimos que esta(s) criança(s) libertada(s) da mancha original, se torne(m) morada do Espírito Santo e templo(s) da vossa glória. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.
Todos: Amen.

Unção pré-baptismal

Celebrante: O poder de Cristo Salvador te(vos) fortaleça. Em sinal desse poder te (vos) fazemos esta unção, em nome do mesmo Cristo nosso Senhor, que vive e reina por todos os séculos.
Todos: Amen.

 

III - Celebração do Baptismo

 
Após os ritos preparatórios, entramos na celebração do baptismo. Caso a água ainda não esteja benzida, procede-se à sua bênção. Se já estiver poder-se-á realizar uma oração como é previsto no ritual. Qualquer uma destas orações mostra a água como elemento purificador e criador, realçando os vários relatos bíblicos em que a presença da água auspicia o baptismo. Antes de alguém poder receber, tem de professar a Fé e renunciar a tudo o que lhe é contrário. No baptismo das crianças os pais e padrinhos não professam a fé em vez da criança, mas é na fé dos pais, padrinhos e da comunidade que a criança é baptizada. Porque a fé é dada, pelo baptismo, a cada um, a Profissão da Fé dos pais e padrinhos é feita na 1ª pessoa do singular: Eu Creio; e não o tantas vezes ouvido: Cremos. No entanto, a fé só pode ser vivida e sentida em comunidade, se cada um responder Eu Creio e todos responderem em uníssono, só se ouve um Eu Creio: é a expressão da comunidade como um só corpo, a uma só voz.
 
Pergunta-se, então, se os pais querem que o seu filho receba o baptismo nessa mesma fé que acabaram de professar. Esta pergunta mostra a importância do acontecimento. Não é a criança que pede o baptismo, mas dá-se o sentido da grande responsabilidade dos pais e padrinhos ao escolheram algo definitivo para a criança. Os pais e padrinhos concentram-se agora para o momento principal da celebração, sem preocupação com a reacção da criança, do fotógrafo ou outras distracções.
 
Após a resposta dos pais e padrinhos a criança é baptizada recebendo a água, por 3 vezes, na cabeça, sob a invocação do Nome de Deus: Pai, Filho e Espírito Santo. É este o momento mais importante, pelo que é inoportuno qualquer tipo de comentário e insinuações ao comportamento da criança, em especial todos os que retiram dignidade à grandeza e à importância do baptismo. Será conveniente a toalha estar pronta para enxugar a criança após a 3ª infusão.
 

1. Bênção e evocação de Deus sobre a água 

Celebrante: Oremos, irmãos caríssimos, para que o Senhor Deus todo o poderoso conceda a esta(s) criança(s) a vida nova pela água e pelo Espírito Santo.
Senhor nosso Deus: Pelo vosso poder invisível realizais maravilhas nos vossos sacramentos. Ao longo dos tempos preparaste a água para manifestar a graça do baptismo.
Logo no princípio do mundo, o vosso Espírito pairava sobre as águas, prefigurando o seu poder de santificar.
Nas águas do dilúvio deste-nos uma imagem do Baptismo, sacramento da vida nova, porque as águas significam ao mesmo tempo o fim do pecado e o princípio da santidade.
Aos filhos de Abraão fizestes atravessar a pé enxuto o Mar Vermelho, para que esse povo, liberto da escravidão, fosse a imagem do povo santo dos baptizados.
O vosso Filho Jesus Cristo, ao ser baptizado por João Baptista nas águas do Jordão, recebeu a unção do Espírito Santo; suspenso na cruz, do seu lado aberto fez brotar sangue e água e, depois de ressuscitado, ordenou aos seus discípulos:
Ide e ensinai todos os povos e baptizai-os em nome do Pai e Filho e do Espírito Santo.
Olhai agora, Senhor, para vossa Igreja e dignai-vos abrir para ela a fonte do baptismo. Receba esta água, pelo Espírito, a graça do vosso Filho Unigénito, para que o homem, criado à vossa imagem, no sacrAmen.to do baptismo seja purificado das velhas impurezas e ressuscite homem novo pela água e pelo Espírito Santo.
Desça sobre esta água, Senhor, por vosso Filho, a virtude do Espírito Santo, para que todos, sepultados com Cristo na morte pelo Baptismo, com Ele ressuscitem para a vida.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo...
Todos: Amen.
 

2. Renunciação e Profissão de Fé

 
Celebrante: Caríssimos Pais e Padrinhos:
No sacramento do Baptismo, a criança por vós apresentada vai receber do amor de Deus uma vida nova, pela água e pelo Espírito Santo. Procurai educá-la de tal modo na fé, que essa vida divina seja defendida do pecado que nos cerca e nela cresça de dia para dia. Se, guiados pela fé, estais preparados para assumir esta missão, recordai o vosso Baptismo, renunciai agora, de novo, ao pecado e professai a vossa fé em Jesus Cristo, que é fé da Igreja, na qual as crianças são baptizadas.
Celebrante: Dizei-me pois: Renunciais ao pecado, para viverdes na liberdade dos filhos de Deus?
Pais e Padrinhos: Sim, renuncio.
Celebrante: Renuncieis às seduções do mal, para que o pecado não vos escravize?
Pais e Padrinhos. Sim, renuncio.
Celebrante: Renunciais a Satanás, que é autor do mal e pai da mentira?
Pais e Padrinhos: Sim, renuncio.
Celebrante: Credes em Deus, Pai todo-poderoso, Criador do Céu e da Terra?
Pais e Padrinhos: Sim, creio.
Celebrante: Credes em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor, que nasceu da Virgem Maria, padeceu e foi sepultado, ressuscitou dos mortos e está sentado à direita do Pai?
Pais e Padrinhos: Sim, creio.
Celebrante: Credes no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne e na vida eterna?
Pais e Padrinhos: Sim, creio.
Celebrante: Esta é a nossa fé. Esta é a fé da Igreja, que nos gloriamos de professar, em Jesus Cristo Nosso Senhor.
Todos: Amen.
 

3. O Baptismo

 
Celebrante: Quereis, portanto, que N receba o Baptismo na fé da Igreja que todos, convosco, acabámos de professar?
Pais e Padrinhos: Sim, queremos.
Celebrante: N, eu te baptizo em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.
 

IV - Ritos Explicativos

 
Após o baptismo da criança, seguem-se alguns gestos que explicam e tornam "palpável" o grande mistério do baptismo. O primeiro gesto é a Unção feita com o Santo Óleo do Crisma logo após o Baptismo. Ela mostra que quem é baptizado é escolhido por Deus, é sinal da eleição divina. Tal como os reis, profetas e sacerdotes da antiga aliança (profeta - anuncia a Palavra de Deus e vê o mundo com o olhar de Deus; rei - governa, governamos a nossa vida sob a Lei de Deus; o sacerdote - entrega a vida a Deus como oblação) quem é baptizado torna-se "membro de Cristo Sacerdote, Profeta e Rei"; torna-se imagem e pertença de Deus.
 
A imposição da veste branca indica que quem é baptizado recebe a dignidade Cristã, recebe a santidade. O branco é sinal da santidade, sinal da pureza cristã, sinal da dignidade cristã. Deste modo, a veste deve ser branca. É importante observar que também a veste dos ministros da liturgia, a alva ou túnica, é branca por ser sinal do baptismo que receberam. Neste gesto há ainda um elemento importante: diz-se à criança que ela será "ajudada pela palavra e exemplo" dos seus pais e padrinhos, isto significa que se conta com o exemplo de vida dos pais, padrinhos e de toda a comunidade para que a criança permaneça sempre na pureza e dignidade cristã e progrida na santidade.
 
Entregar a vela acesa à criança é o gesto de transmissão da fé pelos pais e padrinhos, fé que não se extingue. Mas é também o sinal de que quem é baptizado é presença de Cristo no meio do mundo, pois a vela é acesa única e exclusivamente no Círio Pascal, sinal de Cristo Luz do Mundo. Aos pais e padrinhos caberá velar para que esta fé esteja sempre "acesa", mesmo no meio das tribulações da vida.
 
"Effatha" é a palavra hebraica que traduz a palavra portuguesa "abre-te" e que foi utilizada por jesus na cura de um surdo-mudo. Há desejo de que, com a ajuda de Deus, em breve a própria criança possa a escutar e acolher a Palavra de Deus e a professar a fé.
 
Se o baptismo está inserido na eucaristia, seguem-se os ritos do ofertório e toda a Oração Eucarística. Estes dois sacramentos estão intimamente ligados, pois se um é o início da vida cristã o outro é o seu alimento. Ambos nascem do lado aberto de Cristo na Cruz, de onde corre sangue e água, prefigurando a Eucaristia e o Baptismo.
 
Se a celebração do Baptismo não acontece dentro da Eucaristia, é conveniente fazer-se uma procissão até junto do altar para sublinhar a relação entre os dois sacramentos e aí se farão os ritos finais.
 

Unção depois do Baptismo

 
Celebrante: Deus todo-poderoso, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, que te libertou do pecado e te deu uma vida nova pela água e pelo Espírito Santo, unge-te com o crisma da salvação, para que, reunido ao seu povo, permaneças, eternamente, membro de Cristo sacerdote, profeta e rei.
Todos: Amen.
 

Imposição da veste branca 

Celebrante: N, agora és nova criatura, e estás revestido(a) de Cristo. Esta veste branca seja para ti símbolo da dignidade cristã. Ajudado(a) pela palavra e pelo exemplo da tua família, conserva-a imaculada até à vida eterna.
Todos: Ámen.
 
Entrega da vela acesa
 
Celebrante: Recebei a luz de Cristo.
 
A vós, pais e padrinhos (ou madrinha), se confia o encargo de velar por esta luz, para que este, menino(a) iluminado(a) por Cristo, viva sempre como filho(a) da luz, persevere na fé e, quando o Senhor vier, possa ir ao seu encontro com todos os Santos no reino dos céus.
 

"Effatha"

 
Celebrante: O Senhor Jesus, que fez ouvir os surdos e falar os mudos, te dê graça de, em breve, poderes ouvir a Sua palavra e professar a fé, para louvor e glória de Deus Pai.
Todos: Ámen.
 

V - Conclusão do Rito

 
A Oração Dominical - "Pai Nosso" - tem nesta celebração um destaque muito importante pois é a primeira vez que a criança chama a Deus de Pai, não com a sua voz mas com a voz dos pais, padrinhos e demais presentes. É a oração dos filhos de Deus e neste momento a criança, porque já foi baptizada, já é filho de Deus. Cabe aos pais e padrinhos ajudarem a criança a chamar a Deus de Pai e a viver como filho de Deus.
 
A concluir a celebração, realiza-se a bênção e despedida. Haverá, de um modo particular, a bênção da mãe, do pai e de todos os presentes, para que todos, cada um no seu papel, pela palavra e pelo exemplo das suas vidas, concorram para que a criança seja ajudada a viver o baptismo que recebeu.
 

A Eucaristia: do Baptismo à plenitude da iniciação Cristã

 
Celebrante: Irmãos caríssimos: renascido(a) pelo Baptismo, este(a) menino(a) é chamado, e é de verdade, filho (a) de Deus. Pela Confirmação, há-de receber um dia a plenitude do Espírito Santo; aproximando-se do altar do Senhor participará da mesa do Sacrifício de Cristo; membro da Igreja há-de chamar a Deus seu Pai. Em nome dele(a), no espírito de filhos adoptivos que todos recebemos ousamos agora rezar como o Senhor nos ensinou.
 
Celebrante e Todos: Pai nosso, que estais nos céus, santificado seja o Vosso nome; venha a nós o Vosso reino; seja feita a Vossa vontade assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido; e não nos deixeis cair em tentação; mas livrai-nos do mal.
 
 

Bênção final

 
Celebrante: Deus todo-poderoso, que, por meio do seu Filho unigénito, nascido da Virgem Santa Maria, alegra as famílias cristãs com a esperança da vida eterna, se digne abençoar esta mãe, agradecida pelo dom de seu(sua) filho(a) para que persevere com ele(a) em acção de graças para sempre, em Jesus Cristo Nosso Senhor.
Todos: Ámen.
 
Celebrante: Deus todo-poderoso, que dá a vida no tempo e na eternidade, abençoe o pai desta criança, para que, juntamente com a esposa, pela palavra e pelo exemplo, seja para seu (sua) filho (a) a primeira testemunha da fé, em Jesus Cristo, Nosso Senhor.
Todos: Ámen.
 
Celebrante: Deus todo-poderoso que, pela água e pelo Espírito Santo, nos fez renascer para a vida eterna, abençoe com infinita bondade estes seus fiéis, para que sejam, sempre e em toda a parte, membros vivos do seu povo e gozem da sua paz, em Jesus Cristo Nosso Senhor.
Todos: Ámen.
 
Celebrante: Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo.
Todos: Ámen.
 
Celebrante: Ide em paz e o Senhor vos acompanhe.
Todos: Graças a Deus.
 
 

Textos para a Celebração do Baptismo das Crianças

                                                                                                                                   

LEITURAS DO ANTIGO TESTAMENTO

 
Ex 17, 3-7
«Dá-nos água para beber»
 
Leitura do Livro do Êxodo
 
Naqueles dias, o povo israelita, atormentado pela sede, começou a altercar com Moisés, dizendo: «Porque nos tiraste do Egipto? Para nos deixares morrer à sede, a nós, aos nossos filhos e aos nossos rebanhos?» Então Moisés clamou ao Senhor, dizendo: «Que hei -de fazer a este povo? Pouco falta para me apedrejarem».
O Senhor respondeu a Moisés: «Passa para a frente do povo e leva contigo alguns anciãos de Israel. Toma na mão a vara com que fustigaste o Rio e põe-te a caminho. Eu estarei diante de ti, sobre o rochedo, no monte Horeb. Baterás no rochedo e dele sairá água; então o povo poderá beber».
Moisés assim fez a vista dos anciãos de Israel E chamou aquele lugar Massa e Meriba, por causa da altercação dos filhos de Israel e por terem tentado o Senhor, ao dizerem: «o Senhor está ou não no meio de nós?»
 
Palavra do Senhor.
 
 
Ez 36,24-28
«Derramarei sobre vós água pura e dar-vos-ei um coração novo»
 
Leitura da Profecia de Ezequiel
 
A palavra do Senhor foi-me dirigida nestes termos:
«Filho do homem, diz à casa de Israel: Assim fala o Senhor Deus: Eu vos retirarei de entre as nações e vos reunirei de todos os países para vos restabelecer na vossa terra. Derramarei sobre vós água pura e ficareis limpos de todas as imundícies; e purificar-vos-ei de todos os falsos deuses. Dar-vos-ei um coração novo e infundirei em vós um espírito novo. Arrancarei do vosso peito o coração de pedra e dar-vos-ei um coração de carne. Infundirei em vós o Meu espírito e farei que vivais segundo os Meus preceitos, que observeis e ponhais em prática as Minhas leis. Habitareis na terra que dei a vossos pais; sereis o Meu povo e Eu serei o vosso Deus».
 
Palavra do Senhor.
 
 
Ez 47, 1-9.12
«Vi a água a sair do templo, e todos aqueles a quem chegou esta água foram salvos»
 
Leitura da Profecia de Ezequiel
 
Naqueles dias, o Anjo reconduziu-me a entrada do templo.
Debaixo do limiar da porta saia água, em direcção ao Oriente, pois a fachada do templo estava voltada para o Oriente. As águas corriam da parte inferior, do lado direito do templo, ao sul do altar.
O Anjo fez-me sair pela porta setentrional e contornar o templo por fora, até à porta exterior, que esta voltada para o Oriente As águas corriam do lado direito Depois, saiu na direcção do Oriente com uma corda na mão: mediu mil côvados e mandou-me atravessar: a água chegava-me aos tornozelos.
Mediu outros mil côvados e mandou-me atravessar: a água chegava-me aos joelhos. Mediu ainda mil côvados e mandou-me atravessar: a água chegava-me à cintura. Por fim, mediu mais mil côvados: era uma torrente que eu não podia atravessar.
As águas tinham aumentado até se perder o pé, formando um rio impossível de transpor.
Disse-me então o Anjo «Viste, filho do homem? E fez-me voltar para a margem da torrente.
Quando cheguei, vi nas margens da torrente uma grande quantidade de árvore de um e outro lado.
O Anjo disse-me: «Esta água corre para a região oriental, desce até Arabá e entra no mar, para que as suas águas se tornem salubres.
Em toda a parte aonde chegar esta torrente, todo o ser vivo que nela se move terá novo alento, e o peixe será muito abundante. Porque aonde esta água chegar, tornar-se-ão sãs as outras águas e haverá vida por toda a parte aonde chegar esta torrente. À beira da torrente, nas duas margens, crescerá toda a espécie de árvores de fruto: a sua folhagem não murchará, nem acabarão os seus frutos Todos os meses darão frutos novos, porque as águas vêm do santuário. Os frutos servirão de alimento e as folhas de remédio.»
 
Palavra do Senhor.
 
 
 

LEITURAS DO NOVO TESTAMENTO

 
Rom 6, 3-5
«Sepultados com Cristo pelo Baptismo, vivamos uma vida nova»
 
Leitura da Epístola de São Paulo aos Romanos
 
Irmãos:
Todos nós que fomos baptizados em Jesus Cristo fomos baptizados na sua morte. Fomos sepultados com Ele pelo Baptismo na Sua morte, para que, assim como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai também nós vivamos uma vida nova. Se, na verdade, estamos totalmente unidos a Cristo por morte semelhante à Sua, também o estaremos pela Sua ressurreição.
 
Palavra do Senhor.
 
 
Rom 8, 28-32
«Predestinou-nos para sermos conformes a imagem do Seu Filho»
 
Leitura da Epístola de São Paulo aos Romanos
 
Irmãos
Nos sabemos que Deus concorre em tudo para o bem daqueles que O amam, dos que são chamados, segundo o seu desígnio.
Porque os que Ele de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes a imagem de Seu Filho, a fim de que Ele seja o Primogénito de muitos irmãos E àqueles que predestinou, também os chamou; àqueles que chamou, também os justificou; e àqueles que justificou, também os glorificou.
Que diremos a tudo isto?
Se Deus está por nós, quem estará contra nós? Deus, que não poupou o Seu próprio Filho,
mas O entregou à morte por todos nós, como não havia de nos dar, com Ele, todas as coisas?
 
Palavra do Senhor.
 
 
1 Cor 12, 12-13
«Todos nós fomos baptizados num só Espírito, para formarmos um só Corpo»
 
Leitura da Primeira Epístola de São Paulo aos Coríntios
 
Irmãos
Assim como o corpo e um só e tem muitos membros e todos os membros do corpo, apesar de numerosos, constituem um só corpo, assim também sucede em Cristo.
Na verdade, todos nos - judeus e gregos, escravos e homens livres fomos baptizados num só Espírito, para constituirmos um só corpo e a todos nos foi dado a beber um só Espírito.
 
Palavra do Senhor.
 
 
 
Gal 3, 26-28
«Todos vós que recebestes o baptismo de Cristo, fostes revestidos de Cristo»
 
Leitura da Epístola de São Paulo aos Gálatas
 
Irmãos:
Todos vós sois filhos de Deus pela fé em Jesus Cristo, porque todos vós que fostes baptizados em Cristo, fostes revestidos de Cristo.
Não há judeu nem grego, não há escravo nem livre, não há homem nem mulher; todos vós sois um só em Cristo Jesus.
 
Palavra do Senhor.
 
 
Ef 4, 1-6
«Há um só Senhor, uma só fé, um só baptismo»
 
Leitura da Epístola de São Paulo aos Efésios
 
Meus irmãos
Eu, prisioneiro pela causa do Senhor, recomendo vos que vos comporteis segundo a maneira de viver a que fostes chamados Procedei com toda a humildade, mansidão e paciência, suportai-vos uns aos outros com caridade, empenhai-vos em manter a unidade de espírito, pelo vinculo da paz
Há um só corpo e um só Espírito, como existe uma só esperança na vida a que fostes chamados, um só Senhor, uma só fé, um só baptismo. Há um só Deus e pai de todos, que esta acima de todos, actua em todos e em todos Se encontra.
 
Palavra do Senhor.
 
 
1 Pedro 2,4-5.9-10
«Vós sois geração eleita, sacerdócio real»
 
Leitura da Primeira Epístola de São Pedro Caríssimos:
 
Aproximai-vos do Senhor, que é a pedra viva, rejeitada pelos homens, mas escolhida e preciosa aos olhos de Deus. E vós mesmos, como pedras vivas, entrai na construção deste templo espiritual, para constituirdes um sacerdócio santo, destinado a oferecer sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus por Jesus Cristo.
Vós sois «geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo adquirido por Deus, para anunciar os louvores» d' Aquele que vos chamou das trevas para a Sua luz admirável.
 
Palavra do Senhor.       
 
 
 
 

SALMOS RESPONSORIAIS


 
Salmo 22 (23), 1-3a.3b-4.5'.6
 
Refrão: O Senhor é meu pastor: nada me faltará.
 
O Senhor é meu pastor: nada me falta.
Leva-me a descansar em verdes prados,
conduz-me às águas refrescantes
e reconforta a minha alma.
 
Ele me guia por sendas direitas por amor do Seu nome.
Ainda que tenha de andar por vales tenebrosos,
não temerei nenhum mal, porque Vós estais comigo:
o Vosso cajado e o Vosso báculo me enchem de confiança.
 
Para mim preparais a mesa
à vista dos meus adversários;
com óleo me perfumais a cabeça
e meu cálice transborda.
 
A bondade e a graça hão-de acompanhar-me
todos os dias da minha vida,
e habitarei na casa do Senhor
para todo o sempre.
 
 
Salmo 26 (27), 1.4.8b-9abc.13-14
 
Refrão: O Senhor é a minha luz e a minha salvação.
 
Ou: Desperta, tu que dormes;
levanta-te do meio dos mortos
e Cristo brilhará sobre ti.
 
O Senhor e minha luz e salvação:
a quem hei de temer?
O Senhor é protector da minha vida:
de quem hei-de ter medo?
 
Uma coisa peço ao Senhor, por ela anseio:
habitar na casa do Senhor todos os dias da minha vida,
para gozar da suavidade do Senhor
e visitar o Seu Santuário.
 
A Vossa face, Senhor, eu procuro:
não escondais de mim o Vosso rosto,
nem afasteis com ira o Vosso servo.
Vós sois o meu refúgio.
 
Espero vir a contemplar a bondade do Senhor
na terra dos vivos.
Confia no Senhor, sê forte.
Tem coragem e confia no Senhor.
 
 
 
Salmo 33 (34), 2-3.6-7.8-9.14-15.16-17.18-19
 
Refrão: Aproximai-vos do Senhor e sereis iluminados.
 
Ou: Saboreai e vede como o Senhor é bom.
 
A toda a hora bendirei o Senhor,
o Seu louvor estará sempre na minha boca.
A minha alma gloria-se no Senhor,
escutem e alegrem-se os humildes.
 
Voltai-vos para Ele e ficareis radiantes,
o vosso rosto não se cobrira de vergonha.
Este pobre clamou e o Senhor o ouviu,
salvou-o de todas as angústias.
 
O Anjo do Senhor protege os que O temem
e defende-os dos perigos.
Saboreai e vede como o Senhor é bom:
feliz o homem que n'Ele se refugia.
 
Guarda do mal a tua língua
e da mentira os teus lábios.
Evita o mal e faz o bem,
procura a paz e segue os Seus passos.
 
Os justos clamaram e o Senhor os ouviu,
livrou-os de todas as suas angústias.
O Senhor está perto dos que têm o coração atribulado
e salva os de ânimo abatido.
 
 

ALELUIA E VERSÍCULO ANTES DO EVANGELHO

 
Jo 3,16
Deus amou tanto o mundo
que entregou o Seu Filho Unigénito; quem acredita n'Ele tem a vida eterna.
 
Jo 8, 12
Eu sou a luz do mundo, diz o Senhor:
quem Me segue terá a luz da vida.
 
Jo 14, 6
Eu sou o caminho, a verdade e a vida,
diz o Senhor:
ninguém vai ao Pai senão por Mim.
 
Ef 4, 5-6
Um só Senhor, uma só fé, um só baptismo;
um só Deus e Pai.
 
2 Tim 1, 10 b
Cristo Jesus, nosso Salvador,
destruiu a morte e fez brilhar a vida,
por meio do Evangelho.
 
1 Ped 2, 9
Vós sois geração eleita, sacerdócio real,
nação santa, povo adquirido por Deus,
para anunciar os louvores d' Aquele
que vos chamou das trevas
para a Sua luz admirável.
 
 

EVANGELHOS

 
Mt 22, 35-40
«Este é o maior e o primeiro mandamento»
 
Leitura do santo Evangelho segundo São Mateus
 
Naquele tempo,
um doutor da Lei perguntou a Jesus, para o experimentar: «Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?»
Jesus respondeu: «' Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu Coração. Com toda a tua alma
e com todo o teu espírito'. Este é o maior e o primeiro mandamento. O segundo, porém, é semelhante a este: Amarás o teu próximo como a ti mesmo'.
Nestes dois mandamentos se resumem toda a Lei e os Profetas».
 
Palavra da salvação.
 
 
Mt 28, 18-20
«Ide e ensinai todas as nações, baptizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo»
 
Leitura do santo Evangelho segundo São Mateus
 
Naquele tempo, Jesus aproximou-Se dos seus discípulos e disse-lhes: «Todo o poder Me foi dado no Céu e na terra. Ide e ensinai todas as nações, baptizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-as a cumprir tudo o que vos mandei. Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos».
 
Palavra da salvação.
 
 
Mc 1, 9-11
«Tu és o meu Filho muito amado: em Ti pus a minha complacência»
 
Leitura do santo Evangelho segundo São Marcos
 
Naqueles dias, Jesus veio de Nazaré para a Galileia e foi baptizado por João no rio Jordão.
Ao subir da água, viu os céus rasgarem-se e o Espírito, como uma pomba, descer sobre Ele. E dos céus ouviu-se uma voz: «Tu és o meu Filho muito amado, em Ti pus toda a minha complacência».
 
Palavra da salvação.
 
 
Mc 10, 13-16
«Deixai que as criancinhas se aproximem de Mim»
 
Leitura do santo Evangelho segundo São Marcos
 
Naquele tempo, apresentaram a Jesus umas crianças, para que Ele lhes tocasse, mas os discípulos afastaram-nas.
Jesus, ao ver isto, indignou-Se e disse-lhes: «Deixai vir a Mim as criancinhas; não as estorveis: dos que são como elas é o reino de Deus.
Em verdade vos digo: Quem não acolher o reino de Deus como uma criança não entrará nele»
E, abraçando-as, começou a abençoá-las, impondo as mãos sobre elas.
 
Palavra da salvação.
 
 
Mc 12, 28b-34
Forma longa
«Escuta, Israel: Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração»
 
Leitura do santo Evangelho segundo São Marcos
 
Naquele tempo, aproximou-se de Jesus um escriba e perguntou-Lhe: «Qual é o primeiro de todos os mandamentos?»
Jesus respondeu-lhe: «O primeiro é o seguinte: 'Escuta, Israel: O Senhor nosso Deus é o único Senhor.
Amarás o Senhor teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com todas as tuas forças'.
O segundo é este: Amarás o teu próximo como a ti mesmo'. Não há nenhum mandamento maior que estes».
Disse-lhe o escriba: «Muito bem, Mestre!' Tens razão quando dizes: Deus é único e não há outro além d'Ele.
Amá-l'0 com todo o coração, com toda a inteligência e com todas as forças, e amar o próximo como a si mesmo, vale mais do que todos os holocaustos e sacrifícios».
Ao ver que o escriba dera uma resposta inteligente, Jesus disse-lhe: «Não estás longe do reino de Deus».
E ninguém mais se atrevia a interrogá-l'O.
 
Palavra da salvação.
 
 
Mc 12, 28b-31
forma breve
«Escuta, Israel: Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração»
 
Leitura do santo Evangelho segundo São Marcos
 
Naquele tempo, aproximou-se de Jesus um escriba e perguntou-Lhe: «Qual é o primeiro de todos os mandamentos?»
Jesus respondeu-lhe: «O primeiro é o seguinte: 'Escuta, Israel: O Senhor nosso Deus é o único Senhor.
Amarás o Senhor teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com todas as tuas forças.'»
 
Palavra da salvação.
 
 
Jo 3, 1-6
«Quem não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus»
 
Leitura do santo Evangelho segundo São João
 
Naquele tempo, havia um fariseu chamado Nicodemos, que era um dos principais entre os judeus.
Foi ter com Jesus de noite e disse-Lhe: «Rabi, nós sabemos que vens da parte de Deus como mestre, pois ninguém pode realizar os milagres que Tu fazes, se Deus não está com ele.»
Jesus respondeu-lhe: «Em verdade, em verdade te digo: Quem não nascer de novo não pode ver o reino de Deus.»
Disse-Lhe Nicodemos: «Como pode um homem nascer, sendo já velho? Pode entrar segunda vez no seio materno e voltar a nascer?»
Jesus respondeu: «Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e cio Espírito não pode entrar no reino de Deus. O que nasceu da carne é carne e o que nasceu do Espírito é espírito.»
 
Palavra da salvação.
 
 
Jo 4,5-14
«A fonte de água que jorra para a vida eterna»
 
Leitura do santo Evangelho segundo São João
 
Naquele tempo, chegou Jesus a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, junto da propriedade que Jacob tinha dado a seu filho José, onde estava o poço de Jacob.
Jesus, cansado da caminhada, sentou-Se à beira do poço. Era por volta do meio-dia.
Veio uma mulher da Samaria para tirar água. Disse-lhe Jesus: «Dá-Me de beber».
Os discípulos tinham ido à cidade comprar alimentos. Respondeu-Lhe a samaritana: «Como é que Tu, sendo judeu, me pedes de beber, sendo eu samaritana?»
De facto, os judeus não se dão com os samaritanos. Disse-lhe Jesus: «Se conhecesses o dom de Deus e quem é Aquele que te diz: 'Dá-Me de beber', tu é que Lhe pedirias e Ele te daria água viva».
Respondeu-Lhe a mulher: «Senhor, Tu nem sequer tens um balde e o poço é fundo: donde Te vem a água viva? Serás Tu maior do que o nosso pai Jacob, que nos deu este poço, do qual ele mesmo bebeu, com os seus filhos e os seus rebanhos?»
Disse-lhe Jesus: «Todo aquele que bebe desta água voltará a ter sede. Mas aquele que beber da água que Eu lhe der nunca mais terá sede: a água que Eu lhe der tornar-se-á nele uma nascente que jorra para a vida eterna».
 
Palavra da salvação.
 
Jo 6, 44-47
«Eu sou o pão vivo que desceu do Céu»
 
Leitura do santo Evangelho segundo São João
 
Naquele tempo, disse Jesus aos judeus:
«Ninguém pode vir a Mim, se o Pai, que Me enviou, não o trouxer; e Eu ressuscitá-lo- ei no último dia Esta escrito no livro dos Profetas 'Serão todos instruídos por Deus' Todo aquele que ouve o Pai e recebe o Seu ensino vem a Mim. Porque ninguém viu o Pai, senão Aquele que vem de Deus, Esse e que viu o Pai Em verdade, em verdade, vos digo Quem acredita tem a vida eterna».
 
Palavra da salvação.
 
 
Jo 7, 37b-39a
«Correrão rios de água viva»
 
Leitura do santo Evangelho segundo São João
 
Naquele tempo, Jesus exclamou: «Se alguém tem sede, venha a Mim e beba: do coração daquele que acredita em Mim correrão rios de água viva para a vida eterna». Referia-se ao Espírito que haviam de receber os que acreditassem n'Ele.
 
Palavra da salvação.
 
 
Jo 9, 1-7
«Eu fui, lavei-me e comecei a ver»
 
Leitura do santo Evangelho segundo São João
 
Naquele tempo, Jesus encontrou no seu caminho um cego de nascença. Os discípulos perguntaram-Lhe: «Mestre, quem é que pecou para ele nascer cego? Ele ou os seus pais?»
Jesus respondeu-lhes: «Isso não tem nada que ver com os pecados dele ou dos pais; mas aconteceu assim para se manifestarem nele as obras de Deus E preciso trabalhar, enquanto é dia, nas obras d'Aquele que Me enviou. Vai chegar a noite, em que ninguém pode trabalhar. Enquanto Eu estou no mundo, Sou a luz do mundo».
Dito isto, cuspiu em terra, fez com a saliva um pouco de lodo e ungiu os olhos do cego. Depois disse-lhe «Vai lavar-te a piscina de Siloé» - Siloé quer dizer «Enviado»
Ele foi, lavou-se e ficou a ver.
 
Palavra da salvação.
 
 
Jo 15, 1-11
«Quem permanece em Mim e Eu nele dá muito fruto»
 
Leitura do santo Evangelho segundo São João
 
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Eu sou a verdadeira vide e meu Pai é o agricultor. Ele corta todo o ramo que esta em Mim e não da fruto e limpa todo aquele que da fruto, para que dê ainda mais fruto
Vós já estais limpos, por causa da palavra que vos anunciei. Permanecei em Mim e Eu permanecerei em vós. Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira, assim também vós, se não permanecerdes em Mim. Eu sou a videira, vós sois os ramos. Se alguém permanece em Mim e Eu nele, esse dá muito fruto, porque sem Mim nada podeis fazer. Se alguém não permanece em Mim, será lançado fora, como o ramo, e secará. Esses ramos, apanham-nos, lançam-nos ao fogo e eles ardem. Se permanecerdes em Mim e as Minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes e ser-vos-á concedido. A glória de meu Pai é que deis muito fruto. Então vos tomareis meus discípulos.
Assim como o Pai Me amou, também Eu vos amei. Permanecei no Meu amor.
Se guardardes os Meus mandamentos, permanecereis no Meu amor, assim como Eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e permaneço no Seu amor.
Disse-vos estas coisas, para que a minha alegria esteja em vos e a vossa alegria seja completa»
 
Palavra da salvação
 
 
Jo 19, 31-35
«Trespassou-Lhe o lado, e logo saiu sangue e água»
 
Leitura do santo Evangelho segundo São João
 
Por ser a Preparação, e para que os corpos não ficassem na cruz durante o sábado, - era um grande dia aquele sábado - os judeus pediram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas e fossem retirados. Os soldados vieram e quebraram as pernas ao primeiro, depois ao outro que tinha sido crucificado com ele. Ao chegarem a Jesus, vendo-O já morto, não Lhe quebraram as pernas, mas um dos soldados trespassou-Lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.
Aquele que viu é que dá testemunho e o seu testemunho é verdadeiro. Ele sabe que diz a verdade, para que também vós acrediteis.
 
Palavra da salvação.
 
 
 

FÓRMULAS DA ORAÇÃO DOS FIÉIS

 
Pode utilizar-se uma das fórmulas, de entre as que se propõem no Rito do Baptismo ou aqui. Também é lícito escolher vários elementos da mesma fórmula, e até inserir outros novos, a fim de adaptar a oração e, sobretudo, para responder melhor às circunstâncias particulares das famílias. A oração termina sempre com a invocação dos Santos.
 
1
Celebrante:
Irmãos. Chamados pelo Senhor para sermos geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo adquirido, invoquemos a misericórdia de Deus todo-poderoso para estas crianças que vão receber a graça do Baptismo, e também para seus pais e padrinhos e para todos os baptizados.
Leitor: Para que, pelo Baptismo, Vos digneis agregar estas crianças à Vossa Igreja.
Todos: Nós Vos rogamos, ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que, marcadas com o sinal da cruz, confessem publicamente na vida a Jesus Cristo, Filho de Deus.
Todos: Nós Vos rogamos, ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que, sepultadas com Cristo pelo Baptismo na Sua morte, participem também da Sua ressurreição.
Todos: Nós Vos rogamos, ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que, instruídas pela Palavra e exemplo dos pais e padrinhos, mereçam crescer como membros vivos da Igreja.
Todos: Nós Vos rogamos, ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que a graça do Baptismo se renove em todos nós aqui presentes.
Todos: Nós Vos rogamos, ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que todos os discípulos de Cristo, unidos num só corpo pelo Baptismo, permaneçam sempre na mesma fé e na mesma caridade
Todos: Nós Vos rogamos, ouvi-nos, Senhor.
 
Seguem-se as invocações dos Santos
 
 
2
Celebrante:
Irmãos caríssimos,
Invoquemos a misericórdia de Nosso Senhor Jesus Cristo para estas crianças, que vão receber a graça do Baptismo, e também para seus pais e padrinhos e para todos os baptizados
 
Leitor: Para que estas crianças recebam pelo Baptismo, a adopção de filhos de Deus, oremos ao Senhor.
Todos: Ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que estas crianças, como sarmentos enxertados na verdadeira vide, se tornem, pela sua fé, perfeitos discípulos de Cristo, oremos ao Senhor.
Todos: Ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que estas crianças, cumprindo os mandamentos de Cristo, permaneçam sempre no Seu amor, e anunciem corajosamente o Evangelho aos homens, oremos ao Senhor.
Todos: Ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que estas crianças, justificadas pela graça de Cristo Salvador, alcancem a herança eterna, oremos ao Senhor.
Todos: Ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que os seus pais e padrinhos, formem estas crianças na ciência e no amor de Deus, oremos ao Senhor.
Todos: Ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que todos os homens venham a participar da regeneração baptismal, oremos ao Senhor.
Todos: Ouvi-nos, Senhor.
 
Seguem-se as invocações dos Santos.
 
 
3
Celebrante:
Irmãos. Chamados pelo Senhor para sermos geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo adquirido, invoquemos a misericórdia de Deus todo-poderoso para estas crianças que vão receber a graça do Baptismo, e também para seus pais e padrinhos e para todos baptizados.
 
Leitor: Para que estas crianças se tornem, pelo Baptismo, filhos adoptivos de Deus, nos quais o Senhor encontre o seu enlevo, oremos ao Senhor.
Todos: Nós Vos rogamos, ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que estas crianças, renascidas pela água e pelo Espírito Santo, vivam sempre no mesmo Espírito e manifestem aos homens uma vida nova, oremos ao Senhor.
Todos: Nós Vos rogamos, ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que estas crianças possam vencer as ciladas do demónio e as seduções do mal, oremos ao Senhor.
Todos: Nós Vos rogamos, ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que estas crianças amem o Senhor com todo o coração e com toda a alma, com todo o espírito e com todas as forças, e amem o próximo como a si mesmas, oremos ao Senhor.
Todos: Nós Vos rogamos, ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que todos nós dêmos a estas crianças o testemunho da nossa fé, oremos ao Senhor.
Todos: Nós Vos rogamos, ouvi-nos, Senhor.
 
Leitor: Para que todos os fiéis de Cristo exprimam sempre e em toda a parte, com o seu modo de viver, o sinal da cruz recebido no Baptismo, oremos ao Senhor.
Todos: Nós Vos rogamos, ouvi-nos, Senhor.
 
Seguem-se as invocações dos Santos.
 
              
4
Celebrante:
Irmãos. Invoquemos a misericórdia de Cristo para estas crianças, para os seus pais e padrinhos e para todos os baptizados.
 
Leitor: Para que estas crianças renasçam para a vida eterna pela água e pelo Espírito Santo.
Todos: Cristo, ouvi-nos.
 
Leitor: Para que se tomem membros vivos da vossa Igreja Santa.
Todos: Cristo, ouvi-nos.
 
Leitor: Para que elas possam escutar, viver e dar testemunho do Vosso Evangelho.
Todos: Cristo, ouvi-nos.
 
Leitor: Para que cheguem com alegria à mesa do Vosso sacrifício.
Todos: Cristo, ouvi-nos.
 
Leitor: Para que amem a Deus e ao próximo como Vós nos ensinastes.
Todos: Cristo, ouvi-nos.
 
Leitor: Para que, instruídas pela Palavra e pelo exemplo dos cristãos, cresçam em sabedoria e santidade.
Todos: Cristo, ouvi-nos.
 
Leitor: Para que todos os Vossos discípulos vivam sempre unidos na fé e na caridade.
Todos: Cristo, ouvi-nos.
 
Seguem-se as invocações dos Santos.


Contacto

Igreja Paroquial
R. Raúl Carapinha, nº 15
1500-541 Lisboa
Tel. 217221350

Email:  secretaria@paroquiasaodomingosdebenfica.pt

Todos os direitos reservados © PARÓQUIA DE S. DOMINGOS DE BENFICA 2017 Realizado por Terra das Ideias