Rosaristas


O Rosário de Maria, na vida cristã

Assim como o alimento é indispensável para o corpo, a oração é indispensável para o espírito. É na oração, pessoal e comunitária, que encontramos as forças necessárias para assimilarmos e vivermos bem os ensinamentos de Jesus Cristo e, deste modo, enfrentarmos as contrariedades que a vida diariamente nos apresenta.

Na oração humilde e sincera encontramos forças para seguir Jesus e Maria Santíssima e dizer "Sim" ao projecto de Deus. Por ter respondido positivamente ao chamamento de Deus e aceite livremente ser a Mãe de Jesus Cristo e nossa Mãe, Maria é venerada e honrada por toda a, Igreja como modelo de santidade e de caridade; Ela é a mais poderosa intercessora, junto de Deus, em nosso favor. O Rosário da Virgem Maria na vida cristã é uma forma, simples, humilde e confiante de dialogar com o Senhor, através da bem-aventurada Virgem Maria, repleta de virtudes que iluminam e motivam a Igreja e cada cristão.

É mediante a meditação dos Mistérios do Rosário que recordamos e meditamos os momentos mais importantes da vida de Jesus: o seu nascimento, a sua vida pública, a sua paixão e morte e a sua Ressurreição gloriosa.

Meditar o Rosário é uma forma de orar, de entrar em comunhão com Deus

Sabemos que Maria intercedeu junto de Jesus pelos noivos nas bodas de Caná e, apesar d'Ele lhe ter respondido: "Mulher, a minha hora ainda não chegou", insistiu e obteve do seu Filho o primeiro milagre. Durante a oração do Rosário pedimos a Maria Santíssima que interceda junto de Jesus por nós pecadores, pelos doentes e necessitados, pela paz e por outras intenções.

Em cada dezena do Rosário contemplamos um "Mistério", uma passagem da vida de Jesus ou de Maria.

Devoção do Rosário

Ao longo dos tempos, desde o século XIII até aos nossos dias, numerosos foram os Santos, os Sumo Pontífices e ilustres cientistas que testemunharam a sua entranhável devoção à oração do Rosário, a, praticaram, a louvaram e, com insistência, a recomendaram. Recordamos aqui, a título de exemplo, o Papa Pio IX, o Papa do dogma da Imaculada Conceição. Disse ele: "O Rosário é um compêndio do Evangelho, e dará aos que o rezam os rios de paz de que nos fala a escritura; é a devoção mais bela, mais rica em graças e queridíssima do Coração de Maria. É este, meus filhos, o meu testamento para, que vos recordeis de mim na terra.".

E que dizer da devoção do inesquecível João Paulo II? É sobejamente conhecida de todos. Foi ele o Papa de Maria ("Totus tuus" - Todo teu), o Papa de Fátima, o Papa do Rosário. Na sua belíssima Carta Apostólica O ROSÁRIO DA VIRGEM MARIA, datada de 16 de Outubro de 2002, dois anos e meio, portanto, antes da sua, morte (2 de Abril de 2005), pode ler-se: “Não descurei ocasião para exortar à frequente recitação do Rosário. Desde a minha juventude, esta oração teve um lugar importante na minha vida espiritual... O Rosário acompanhou-me nos momentos de alegria e nas provações; nele encontrei sempre conforto... Apenas duas semanas depois da minha eleição para a Sé de Pedro, assim me exprimia: " O Rosário é a minha oração predilecta. Oração maravilhosa na simplicidade e na profundidade e que marca o ritmo da vida humana. Com estas palavras, inserira no ritmo quotidiano do Rosário o meu primeiro ano de Pontificado. Hoje, no início do vigésimo quinto ano de serviço como Sucessor de Pedro, desejo fazer o mesmo. Quantas graças recebi nestes anos da Virgem Santa Maria através do Rosário!".

E o Santo Padre concluía assim a sua Carta Apostólica sobre o Rosário: “Ó Rosário bendito de Maria, doce cadeia que nos prende a Deus, vínculo de amor que nos une aos Anjos, torre de salvação contra os assaltos do inferno, porto seguro no naufrágio geral, não te deixaremos nunca mais. Serás o nosso conforto na hora da agonia. Seja para ti o último beijo da vida que se apaga. E a última palavra dos nossos lábios há-de ser o vosso nome suave, ó Rainha do Rosário de Pompeia, ó nossa Mãe querida, ó Refúgio dos pecadores, ó Soberana consoladora dos tristes. Sede bendita em todo o lado, hoje e sempre, na terra e no céu”.

"REZEM 0 TERÇO TODOS OS DIAS", foi o pedido que Nossa Senhora fez aos Pastorinhos, em Fátima, em 1917, em cada uma das seis aparições. E apresentava-se aos Pastorinhos com o terço pendente das mãos unidas e levantadas em atitude de oração.

0 mês de Maio é, sem duvida, o "Mês de Maria"; não o é menos, porém, o mês de Outubro, uma vez que o mês de Outubro, é o “Mês do Rosário” e o Rosário é de Nossa Senhora, que, no século XIII terá inspirado a S. Domingos de Gusmão, fundador da Ordem dos Pregadores, mais conhecida por Ordem Dominicana, a oração do Rosário, embora não exactamente como a temos hoje, mas nos seus elementos essenciais. Foi S. Domingos um dos maiores devotos de Nossa Senhora do Rosário e um dos maiores santos do cristianismo e               um dos mais eminentes em sabedoria, em virtude e em zelo pelas almas.

Na Paróquia de São Domingos de Benfica reza-se, o Terço todos os dias depois da missa das 9 horas da manhã e às 18,15 horas, excepto no mês de Maio, que é às 18 horas. 0 Rosário é rezado todos os dias 13 de cada mês, às 15 horas. VENHA REZAR CONNOSCO.

 


Contacto

Igreja Paroquial
R. Raúl Carapinha, nº 15
1500-541 Lisboa
Tel. 217221350

Email:  secretaria@paroquiasaodomingosdebenfica.pt

Todos os direitos reservados © PARÓQUIA DE S. DOMINGOS DE BENFICA 2017 Realizado por Terra das Ideias

Política de Privacidade